Configurando um sistema Autopot

O AutoPot é um dos nossos sistemas hidropônicos favoritos porque é muito fácil de configurar e tem uma manutençãor relativamente simples. O AutoPot vem em duas versões: One Pot (na foto da capa) e Easy2Grow (bandeja hidroponica composta por dois vasos de 8,5L). Neste caso vamos trabalhar com o One Pot System da Autopot.

O One Pot da Autopot pode ser configurado para um pequeno reservatório ou também, poderemos ligar vários vasos em um reservatório maior, como faremos neste caso. One Pot consiste em um vaso quadrado de 15L, bandeja de base, Aquavalve (válvula de água), tampa, 1,5 m de tubo flexível de 4 mm e 2 esteiras de controle de raiz.

O Autopot é um dos sistemas mais simples e inteligentes para se cultivar em hidroponia. A Aquavalve permite que a bandeja base se encha com a solução nutritiva a uma profundidade de 20 milímetros e uma vez que alcance os 20 mm, a válvula feche. A planta, então, absorve a solução nutritiva da bandeja base até que acabe e uma vez que toda a solução nutritiva seja utilizada, a válvula abre novamente e enche de novo a bandeja base até os 20 mm. Todo o sistema funciona sem eletricidade e não precisa sequer de nenhuma bomba. Este sistema é descrito como “planta dirige”. As plantas impulsionam a captação da irrigação da solução nutritiva.

O Autopot vem com instruções muito claras, que são simples de seguir. Um fator muito importante na configuração é ter certeza que a Aquavalve está ajustada corretamente. A imagem a seguir, mostra duas válvulas, sendo que a da direita está ajustada corretamente, enquanto, a da esquerda está na posição incorreta. Você pode perceber isto pela forma como o flutuador está sentado na válvula esquerda, relativamente á da direita. Para corrigir o posicionamento da válvula, simplesmente puxar de volta ao topo do flutuador e remover a borracha amarela, limpá-lo e empurrá-lo de volta com firmeza. Assim ficará pronto para começar.

Uma vez que as válvulas estão definidas conectaremos o tubo de 4 mm nelas e encaixaremos a válvula na bandeja base, permitindo que a T levantada na base possa sentar-se no recesso de meia-lua da válvula. Isto irá permitir que a válvula assente com segurança na bandeja. Estamos conectando 4 sistemas One Pot para um reservatório de 100L, no entanto, esse volume poderia alimentar até 10 sistemas One Pot sem nenhum problema. A razão pela qual usamos um reservatório maior é para que possamos sair por longos períodos sem ter que manter uma vigilância tão estreita do reservatório.

Para conectar os 4 sistemas One Pot ao tanque usaremos 3m de tubo flexível de 13 mm, um conector de torneira “Hozelock”, dois conectores X de 13 mm>4 mm e uma torneira de controle de fluxo de 13 mm. Na foto a seguir, pode observar o conector Hozclock conectado á torneira do reservatório, que está ligado ao tubo principal de 13 mm. O tubo principal de 13 mm corre entre os vasos, como os conectores “X” em posição para serem conectados à tubulação de 4 mmm a partir das válvulas Aquavalve, para o tubo de 13 mm. No final do tubo deve caber uma torneira de controle de fluxo e mantê-la fechada. Vamos ocasionalmente abrir esta torneira, para permitir que os resíduos que se acumulam dentro do tubo, possam ser expedidos. Observe que o reservatório está elevado sobre um suporte para utilizar a gravidade e assim aumentar a pressão nas válvulas.

Agora que todas as bandejas estão conectadas, no lugar, colocaremos as esteiras de controle de raiz em cada uma delas. A esteira tem duas cores: a côr cobre vai na bandeja e a preta, dentro do vaso. Em cima da esteira preta do vaso, vamos colocar uma camada de argila expandida de cerca de 3 cm de profundidade. Isto irá fazer que a própria base do vaso, não fique encharcada. No topo da camada de argila usaremos uma mistura de fibra de côco e perlita (20% perlita a 80% de côco).

Para terminar, encheremos o topo do pote, com argila expandida e cobriremos o bloco de lã de rocha, com uma manta plástica. As bolas de argila expandida na parte superior do vaso, vão ajudar a isolar o mesmo e vão preservar a camada superior da mistura de côco/perlita. Assim esta ficará mais protegida da ação do sol e ajudará na preservação da umidade, assim como as propriedades físico-químicas do substrato. Uma vez que está tudo colocado, irrigaremos à mão, a parte superior dos vasos, com uma solução nutritiva de Hesi Pro-Line TNT para Coco com uma CE de 1.6 ms/cm e um pH de 5.8. Estas plantas terão que ser irrigadas à  mão pela parte superior dos vasos nas próximas duas semanas até que tenhamos certeza de que as raízes chegaram à parte baixa do vaso e a planta está pronta para ser alimentada através da válvula na parte inferior da bandeja.

Se começarmos de imediato a alimentação de fundo com a válvula, muitas vezes o sistema radicular das plantas ainda está pouco desenvolvido (pequeno porte) e não poderá lidar com o meio de cultivo, o que fará com que o crescimento seja lento. Ao irrigar à mão, a cada dois dias por algumas semanas, conseguiremos que a planta esteja pronta mais rápido, para realizar a alimentação de fundo, ou seja, com a válvula.

Enchemos o tanque com uma solução nutritiva, mas mantivemos a torneira na parte inferior do reservatório fechada, desta forma, podemos usar as primeiras semanas esta, para irrigar à mão as plantas, quando estas precisem.

Em cerca de 3 meses, teremos as plantas prontas para a colheita. 

Fonte: http://in-outdoor.com.br/